Electra - Mitologia

( 7 Votes )
Electra

O que é Mitologia grega?

Você já deve ter ouvido falar sobre a Mitologia grega, mas você sabe o que é a Mitologia grega?


A Mitologia grega é um conjunto de mitos (crenças), lendas e rituais dos antigos gregos, basicamente ela era composta por diversos mitos sobre os deuses e enfatizaram o contraste entre as fraquezas dos humanos e as forças da natureza.


Como surgiu a Mitologia grega?

A Mitologia grega surgiu da curiosidade que os gregos tinham de explicar a origem da vida, os problemas da existência, fenômenos da natureza, dentre outros assuntos. Como nessa época não haviam explicações científicas, os gregos criaram um conjunto de relatos fantasiosos e imaginativos para explicar tais questionamentos.


Abaixo segue mais um dos mitos mais conhecidos da Mitologia grega.


Electra - Mitologia


Electra é a filha primogênita do Rei Agamemnon (herói grego da Guerra de Tróia) e da rainha Clitemnestra.


Durante a ausência de Agamemnon na guerra, Clitemnestra torna-se amante de Egisto. Fim da a Guerra de Tróia, Agamemnon retorna à Grécia e é recebido por Egisto para um banquete. Era, na verdade, uma cilada e Agamemnon é assassinado a sangue frio por sua esposa e seu amante Egistus.


Em seguida, os dois assassinos se casaram e Egistus tornou-se rei. Orestes, o jovem filho de Agamemnon, foi escondido por um parente em outra cidade, pois existia o temor de que Egistus o matasse. Electra, a filha, ficou em Argos, mas foi obrigada a casar com um velho camponês, uma forma de evitar que se unisse a algum guerreiro poderoso o suficiente para vingar a morte de seu pai. Um dia, enquanto Electra e seu marido camponês trabalhavam no campo, Orestes e seu amigo Pylades, chegaram disfarçados à fazenda. Escondidos, eles a ouviram cantando tristemente, lamentando-se por sua sorte e pela morte do pai. Nesse momento, chegou um mensageiro informando que haveria um festival em honra à deusa Hera e que todas as mulheres de Argos tinham que participar. Electra disse que preferia permanecer na fazenda, longe dos olhos piedosos das pessoas que conheciam sua vida pregressa. O mensageiro a aconselhou a honrar os deuses e a pedir por sua ajuda. Depois que o mensageiro se foi, Orestes e Pylades (disfarçados) se apresentaram a Electra dizendo-se amigos de Orestes.


Ela acreditou neles e contou-lhes sua triste história. Também disse que tinha esperanças de que Orestes voltasse, mais cedo ou mais tarde, para vingar a morte de Agamemnon. Finalmente, Electra informou que Egistus havia oferecido uma recompensa pela morte de Orestes. O velho camponês encontrou-os conversando e convidou Orestes e Pylades para ficarem na fazenda, como seus hóspedes. No caminho para a casa da fazenda, o velho notou que haviam feito uma oferenda sobre a tumba de Agamemnon, deixando ali cabelos ruivos. Ele sugeriu a Electra que Orestes talvez estivesse na vizinhança. Electra, porém, disse que não existia a menor chance do irmão estar em Argos. Quando chegaram à casa da fazenda, o velho camponês reconheceu uma cicatriz na testa de Orestes.


Electra, emocionada, finalmente descobriu que aquele rapaz disfarçado era seu irmão. Seguindo um conselho do velho camponês, Orestes decidiu atacar Egistus durante um ritual de sacrifício que o rei faria naquele dia. Determinada a matar também a mãe, Electra mandou seu marido dizer a Clytemnestra que havia acabado de dar à luz um bebê. Dessa foram, eles a atrairíam para a fazenda. O camponês partiu e os dois irmãos ficaram rezando, invocando a ajuda dos deuses para conseguirem cumprir sua vingança. Mais tarde, Orestes e Pylades foram saudados por Egistus quando passavam diante de seus jardins. Disseram a ele que vinham da Tessália e que estavam indo a um santuário, fazer um sacrifício a Zeus. Egistus contou-lhes que estava se preparando para um ritual em homenagem às ninfas, e os convindou a participarem. Durante o ritual, Egistus matou um bezerro e arrancou suas entranhas para ler a sorte. Orestes aproveitou o momento e enterrou um cutelo (faca de lâmina retangular) nas costas do inimigo, matando-o.


Em seguida, Orestes revelou sua identidade aos servos, que tomaram o partido do filho de seu antigo mestre. Orestes carregou o corpo de Egistus para a casa da fazenda. Electra lançou suas pragas sobre o cadáver do assassino de seu pai e enterraram-no. Viram, então, que Clytemnestra estava se aproximando da casa. Orestes disse que queria matá-la, mas que tinha medo da fúria dos deuses caso cometesse esse matricídio. Electra, porém, estava determinada a ir até o final e incitou o irmão a não retroceder e realizar o crime.


Clytemnestra entrou na casa, pensando que iria ajudar a filha com o recém-nascido, mas, lá dentro, encontrou a morte. Orestes matou-a a facadas. Castor e Polux, os dois filhos gêmeos de Zeus, irmãos da semi-divina Clytemnestra, apareceram para Orestes e Electra. Disseram compreender os sentimentos dos dois irmãos, divididos entre ódio e amor, orgulho e vergonha. Os gêmeos determinaram que Orestes devia entregar Electra para se casar com Pylades. Quanto a Orestes, que realizara os crimes, teria que ser perseguido pelas Fúrias durante algum tempo até purgar seu crime. Depois, seria julgado em Atenas e o resultado seria positivo: Orestes seria inocentado e voltaria a ser um homem livre.





Artigos Relacionados