As Contribuições do Behaviorismo de Watson

( 23 Votes )

 

   A carreira produtiva de Watson durou pouco menos de 20 anos; mesmo assim, afetou profundamente o curso do desenvolvimento da psicologia por muito tempo. Watson foi um eficaz agente do Zeitgeist, em uma época de mudanças não apenas na psicologia, como também nas atitudes científicas em geral. O século XIX testemunhou os magníficos avanços em todos os ramos da ciência. O século XX prometia feitos ainda mais extraordinários. Na época, acreditava-se que, se aos cientistas fosse dado tempo suficiente, eles descobriram as soluções para todos os problemas e as respostas para todas as perguntas.

 

   Watson tornou a metodologia e a terminologia da psicologia mais objetivas. Embora suas posições a respeito de determinados tópicos estimulassem muita pesquisa, suas formulações iniciais não são mais válidas. Como uma escola de pensamento distinta, o  behaviorismo de Watson foi substituído por outras formas de objetivismo psicológico nele baseado. O historiador E. G. Boring afirmou que, em 1929, o behaviorismo já ultrapassara a etapa inicial. Como os movimentos revolucionários dependem das polêmicas para se fortalecerem, é um verdadeiro tributo ao behaviorismo de Watson que apenas 16 anos após a sua introdução ele não precisasse mais protestar.

 

   O behaviorismo de Watson efetivamente superou as posições iniciais mais gerais da psicologia. Em 1926, um estudante de pós-graduação da University of Wisconsin relatou que, naquela época, poucos estudantes tinham ouvido falar de Wundt e Titchener (Gengerelli,1976). Os métodos objetivos e a linguagem acabaram se incorporando à psicologia americana e, desse modo, morria o sistema de Watson, assim com outros movimentos bem-sucedidos, ou seja, sendo absorvidos por um corpo principal de pensamento, a fim de proporcionar uma base conceitual mais firme para a psicologia moderna.

 

   Embora o programa de Watson não lhe permitisse atingir seus ambiciosos objetivos, ele foi amplamente reconhecido pelo seu papel de fundador. O seu 100° aniversário de nascimento foi comemorado em abril de 1979, o mesmo ano do centenário da psicologia como ciência. Um simpósio realizado na Furman University, para o qual o laboratório de psicologia levou o nome de Watson em sua homenagem, reuniu psicólogos vindos de todo os Estados Unidos. Um dos oradores foi J. B. Skinner, cujo discurso se intitulava "What J. B. Watson meant tome" (O que J. B. Watson significou para mim). Seus conterrâneos não aguardavam boas lembranças de Watson. Muitos recordavam-se dele como "arrogante e ateu que voltara as costas para a sua herança sulista e a criação batista" (Grenville News, 5 abril 1979). Em 1984, foi inaugurado um marco comemorativo em uma estrada próxima ao local de seu nascimento.

 

   Até certo ponto, a aceitação do behaviorismo watsoniano deve-se à personalidade de Watson, figura carismática que projetava suas idéias com entusiasmo, otimismo e autoconfiança. Orador muito eloquente e persuasivo, desprezava a tradição e rejeitava a psicologia corrente. Essas características pessoais, aliadas ao espérito dos tempos que ele manipulava com tanta maestria, definiram John B. Watson como dos pioneiros da psicologia.

 


As Críticas ao Behaviorismo de Watson

 

   Qualquer sistema que apresente propostas radicais de revisão, que desafie violentamente a ordem existente e sugira a exclusão da versão anterior da verdade certamente deve ser alvo de críticas. É sabido que a psicologia americana já rumava em direção à maior objetividade quando Watson fundou o behaviorismo, no entanto, nem todo psicólogo estava disposto a aceitar a radical objetividade por ele apresentada. Muitos psicólogos, inclusive alguns defensores do princípio da objetividade, acreditavam que o programa de Watson omitia componentes importantes - como os processos perceptuais e sensoriais.



Veja abaixo o vídeo falando sobre o Behaviorismo de Watson:



Artigos Relacionados